Como alimentar filhotes de cachorro

alimentar filhotes de cachorro

A maioria dos filhotes de cachorro está totalmente desmamada e pronta para ser colocada em suas novas casas entre 7 e 9 semanas de idade. Para filhotes de cachorro, isso representa uma idade ideal para entrar em uma nova casa, porque o período de socialização primária ocorre entre 5 e 12 semanas de idade. Com 7 semanas de idade, os filhotes passaram tempo suficiente com sua ninhada para permitir a socialização canina adequada. O restante deste importante período de desenvolvimento pode ser gasto com seus novos donos.

Os filhotes de cachorro em crescimento tem uma exigência maior em calorias, gordura, proteína e nutrientes essenciais por quilo do que cães mais velhos. Alimentos de alta qualidade e balanceados que forneçam as proporções certas de nutrientes e gorduras são essenciais. 

  1. 1 a 6 semanas: os filhotes de cachorro devem ser alimentados pela mãe nas primeiras quatro semanas. Com quatro semanas, pode-se começar a introduzir alimentos moles.
  2. 6 semanas a 6 meses: alimente seu filhote de três a quatro vezes ao dia. Certifique-se de fornecer uma dieta para estimular o seu desenvolvimento.
  3. 6 meses em diante: se for cães de raças pequenas já pode-se fazer uma introdução gradativa a alimentação de cães adultos, fornecendo uma ou duas vezes ao dia. Cães de raças grandes e gigantes precisam continuam em crescimento nessa fase, tornando adultos com 18 a 24 meses.

Quando se trata de alimentar um filhote, não faltam respostas, conselhos, produtos e promessas destinadas aos novos donos de filhotes. Os filhotes de cachorro têm necessidades dietéticas diferentes dos cães adultos, e uma boa alimentação balanceada para sua necessidade, servida na quantidade certa, é essencial para seu filhote em crescimento.

É importante se familiarizar com alguns dos princípios básicos, por isso fornecemos aqui, respostas para as grandes questões.

1 – O que os filhotes de cachorro devem comer?

Filhotes de cachorro em crescimento requerem mais calorias, gordura, proteína e nutrientes essenciais por quilo do que cães mais velhos. Neste estágio importante, quando os ossos, o cérebro e outros órgãos do seu filhote estão se desenvolvendo, é importante prestar atenção à qualidade de sua nutrição e como, quando e quanto você está alimentando.

2 – O que fornecer ao seu cão – 1 a 6 semanas

Nas primeiras quatro semanas de vida, pelo menos, o ideal é que o seu filhote fique com a mãe e obtenha os nutrientes do leite materno, que fornece a melhor fonte de nutrição e anticorpos para ajudar a evitar doenças. Eles devem ser completamente desmamados a partir de oito semanas.

Os filhotes de cachorro podem receber o que é conhecido como mingau para estimular a ingestão de alimentos a partir das três ou quatro semanas de idade. Os mingaus podem ser feitos misturando um alimento úmido para filhotes com um volume igual de água morna. Os filhotes de cachorro devem ser encorajados a lamber o mingau ou os donos podem mergulhar a ponta dos dedos no mingau e depois na boca do filhote. À medida que o interesse do filhote por alimentos sólidos aumenta, o teor da água do mingau pode ser reduzido progressivamente. Os filhotes devem comer quantidades suficientes de alimentos sólidos com cinco a seis semanas de idade.

3 – O que fornecer ao seu filhote: seis semanas a 6 meses

Em primeiro lugar, devemos nos certificar que o filhote esta recebendo uma dieta formulada para filhotes de cachorro, como as elaboradas pela a Quinta. Embora seja importante fornecer nutrientes suficientes para o corpo em crescimento de um filhote, fornecer excesso de nutrientes e alimento em quantidade maior pode fazer mal para o seu cãozinho.

O ganho de peso e o crescimento muito rápidos, especialmente em raças gigantes, podem causar problemas esqueléticos graves, principalmente devemos ter atenção a energia e o cálcio das dietas. O cálcio e o fósforo são responsáveis por uma série de funções corporais críticas (incluindo, formação do esqueleto e dentes saudáveis, entre outras). É essencialmente importante estar na dieta dos filhotes de cachorro em uma relação ideal. Muito pouco cálcio pode causar desmineralização dos ossos; por outro lado, muito cálcio e fósforo interfere no crescimento ósseo. Displasia de quadril, osteocondrose, osteocondrite dissecante, e displasia do cotovelo são doenças articulares que podem afetar cães jovens, de raças grandes e de crescimento rápido e está associada à alimentação excessiva e ao excesso de energia dietética e cálcio.

A dieta do seu filhote deve fornecer cálcio e fósforo em uma proporção de 1:1 até 2:1, sendo 1:1 o ideal. Existem outras vitaminas e minerais, como vitamina D e A, cobre, magnésio e zinco, que são importantes para o desenvolvimento ósseo saudável.

4 – A gordura saudável

O ômega 3 e ômega 6 são ácidos graxos de cadeia longa conhecidos como ácidos graxos essenciais porque os cães não podem sintetizá-los, então precisam obtê-los dos alimentos. Os ácidos graxos ômega-6 incluem o ácido linoléico e araquidônico. Os ácidos graxos ômega-3 incluem ácido alfa-linolênico, ácido docosahexaenóico (DHA) e ácido eicosapentaenóico (EPA). 

A relação dos ômegas são vitais em uma série de funções corporais, incluindo, imunidade, desenvolvimento do cérebro e dos olhos, saúde da pele, pelagem e articulações, e tem relação com o controle de inflamações.

Os ômegas-6 estão presentes nos óleos como: óleo de soja, óleo de canola, óleo de milho, óleo de girassol, entre outros.

Os ômegas-3 são derivados de peixes de águas frias como a sardinha, anchova e salmão.

O alimento do seu cãozinho deve conter DHA, pois é importante para o desenvolvimento do cérebro e dos olhos em filhotes. As melhores fontes de DHA incluem óleo de peixe de alta qualidade ou sardinha e anchovas inteiras. O DHA é um elemento particularmente importante para filhotes de cachorro em crescimento, podendo melhorar a memória e o aprendizado em cães jovens.

5 – Quanto devo alimentar meu filhote? 

Quando pensamos em filhotes de cachorro, é difícil não evocar um pacote rechonchudo de alegria, junto com um cheirinho de bebê, os filhotes têm aquela maciez adorável que pode criar a impressão de que não há problemas em um filhote mais gordinho.

Mas, controlar o peso de seu cãozinho é fundamental, e isso começa desde filhote. A obesidade é uma grande ameaça à saúde dos cães de todas as idades e está associada a uma longa lista de doenças. Fornecer ao seu cão um alimento certo para sua fase de vida e na medida correta, estabelecendo o quanto ele deve comer ao longo do dia, e manter uma condição corporal magra, estão entre as preocupações que se deve ter para proporcionar saúde.

  1. Obtenha as calorias certas

A primeira é consultar os gráficos disponíveis em recursos como o do Walthan Petcare Science Institute ou The Association for Pet Obesity Prevention (APOP). Estabelecer o peso adulto previsto para o seu cãozinho é importante, pois equações de necessidade dos filhotes de cachorro utilizam esses valores para estabelecer suas necessidades em relação ao quanto esse cão está em relação ao seu peso adulto. 

Estabelecer uma faixa de calorias dessa forma é o ponto de partida, pois cada cão é único, então é importante o monitoramento da condição corporal do seu cão ao longo do tempo para certificar de que a faixa de calorias é adequada para o nível de atividade e tamanho.

Os proprietários de filhotes de cachorro devem, em consulta com o veterinário ou zootecnista, monitorar a pontuação da condição corporal de seus filhotes e ajustar a dieta para garantir que o peso corporal ideal seja mantido durante a fase de crescimento.

  1. Acompanhar a condição corporal

O corpo de um filhote muitas vezes dobra em 8 a 10 dias após o nascimento. Se você não tem acesso a uma balança, pode ficar de olho no peso do seu cãozinho pela palpação do animal e avaliação visual. O mesmo tipo de teste de olhar e tocar que se aplica a cães adultos pode ser usado no seu filhote. Examine-o e sinta as costelas, que embora não devam ser visíveis, você deve poder sentí-las com uma fina cobertura de gordura. Eles devem ter uma “cintura” visível em vez de um formato de um barril.

Consulte um gráfico de pontuação de condição corporal para determinar se você está no caminho certo, clique aqui (colocar um link com uma tabela de Escore de Condição Corporal e Condição Muscular).

6 – Com que frequência devo alimentar meu cãozinho? 

  • 6 semanas a 6 meses

Achamos que é uma boa idéia estruturar o tamanho e o tempo das refeições – fornecendo uma quantidade correta de alimento três a quatro vezes por dia até cerca de 6 meses.

Refeições menores e frequentes são mais fáceis de digerir para um filhote, podem manter seus níveis de energia estáveis e, se fornecidas na proporção correta, evitam o obesidade e as deformidades esqueléticas. 

Os filhotes de cachorro estão crescendo rápido neste momento, o que é normal, mas seu metabolismo não é ilimitado, eles ainda podem ganhar muito peso. Consulte seu veterinário ou zootecnista e use os testes de condição de condição corporal mencionados acima para garantir que seu filhote esteja na condição ideal. 

Se você tem um cão de raça de porte grande ou gigante, é altamente recomendável alimentá-lo para o manter no escore de condição corporal ideal (ou seja, em uma pontuação de condição corporal 4-5/9). O tamanho adulto de seu cão pode ser determinado pela genética, no entanto, o tempo que leva para seu cão se tornar “adulto” pode ser afetado por uma nutrição adequada. Crescer na taxa ideal significa menos riscos de doenças ósseas e articulares, portanto, exerça o controle sobre a dieta de seu cão e o ajude a controlar o crescimento de forma saudável.

  • 6 meses e acima

Nesta fase, você pode alimentar o seu filhote uma ou duas vezes por dia, e manter essa programação durante a idade adulta.

7 – Alimentando cães de raças grandes

Embora a AAFCO defina uma raça grande como qualquer cão que pese mais de 32 quilos quando adulto, geralmente um filhote pode ser considerado de raça grande se tiver entre 25 e 45 quilos quando adulto – pensem em Pastores alemães, Rottweilers, Berneses, entre outros. Se um cão pesar mais de 45 quilos quando adulto, é uma raça gigante, como o Dogue Alemão.

O que deve-se ser a principal preocupação em raças grandes e gigantes é que elas demoram mais tempo para crescerem. Cães de médio-grande porte devem levar cerca de um ano a um ano e meio para atingir a idade adulta, e as raças maiores não param de crescer até os dois anos de idade. 

É importante que os cães maiores cresçam a uma taxa saudável, pois crescer muito rápido pode causar doenças ortopédicas e obesidade. Evite fornecer alimentos livremente para filhotes de cachorro de raças grandes e gigantes. Os filhotes não praticam o controle das porções, portanto, a alimentação à vontade não é recomendada. 

A alimentação d’a Quinta fornece guias de modo de uso específicas para o consumo do seu filhote.

Embora, possa ser tentador fornecer suplementos para cães em crescimento, é especialmente importante manter o equilíbrio correto de nutrientes com filhotes grandes, especialmente cálcio, fósforo e vitamina D – muitos dos quais podem causar sérios problemas de saúde.

8 – Alimentando cães de raças pequenas

Cães de raças pequenas são aqueles que pesam 14 quilos ou menos quando adultos; raças mini são aquelas que permaneceram com 5 quilos ou menos quando adultas. Esses cães atingem a maturidade mais rápido entre cerca de nove a 12 meses.

Cães pequenos têm um metabolismo mais rápido que os cães grandes, o que significa que eles podem se dar melhor com refeições menores e mais frequentes.

Novamente, de seis semanas a seis meses, é recomendado que os filhotes de cachorro sejam alimentados de três a quatro vezes por dia. A partir daí, você pode mudá-los para uma programação de alimentação duas vezes por dia. 

Se eles estão ativos, ou estão sempre “pedindo” por alimento entre as refeições, você pode considerar voltar a fornecer em 3 ou 4 refeições diárias menores.

Cães de raças pequenas podem ser propensos à hipoglicemia (baixo nível de açúcar no sangue), então muitas vezes é sugerido que você deva deixar o alimento à vontade. No entanto, muitos especialistas (incluindo nós!) recomendam que você se restrinja a três a quatro refeições por dia.

9 – Petiscos e guloseimas

Tenha cuidado especial com as guloseimas – com seu filhote de qualquer porte, as guloseimas não devem ultrapassar mais que 10% da ingestão diária do seu cão, o que significa que, para um cão pequeno de 3 quilos e com uma exigência de apenas 250 quilocalorias por dia, eles devem obter apenas 25 quilocalorias por dia em petiscos e guloseimas. Se você não está acompanhando, pode rapidamente dobrar suas calorias diárias com algumas guloseimas altamente calóricas! Pense nisso…  

Leia mais sobre “Fornecimento responsável de petiscos”.

Compartilhar

A revolução da alimentação de verdade chegou!