Quais os legumes que cachorro pode comer?

Os vegetais não são as primeiras coisas que muitas pessoas pensam quando querem oferecer um alimento ou petisco para cães. Mas existem algumas razões para alimentar seu cão com os vegetais e por isso elaborámos esse artigo explicando quais os legumes que cachorro pode comer.

São uma grande fonte de hidratação por causa do seu alto teor de água, mas também podem fornecer uma variedade de vitaminas, minerais, antioxidantes, fibras e fitonutrientes, que são compostos naturais encontrados em plantas com potencial de combate a doenças. Porém, todo consumo de ingredientes “extras” a dieta completa e balanceada deve ser fornecido com moderação, para evitar desequilíbrio nutricional e ganho de peso. Os extras dos legumes que cachorro pode comer não devem representar mais que 10% da ingestão calórica diária do seu cão. 

As hortaliças são um grupo de alimentos conhecidos como reguladores ou protetores, e seu valor nutritivo varia de acordo com a parte comestível da planta. São legumes que cachorro pode comer e, portanto, ingredientes muito utilizados na alimentação natural de cães e gatos, se caracterizando como de alto teor de umidade e baixo nível de lipídios. Ricos em vitaminas, minerais e fibras, nutrientes importantes para regular as funções do corpo. Contém também substâncias fitoterápicas com funções de proteção contra vários tipos de doenças.

As hortaliças verdes e folhosas, são ricas em cálcio, ferro, vitamina C e precursores da vitamina A. As de coloração laranja e amarelas são ricas em carotenos e xantofilas, e outras como a batata-doce, inhame, mandioca, cará e a batata inglesa, são ricas em carboidratos solúveis (amido).

O consumo de frutas e vegetais folhosos fornecem fibras solúveis e insolúveis que auxiliam no trânsito intestinal prevenindo constipações, além de ser uma boa fonte de vitaminas, minerais e fitonutrientes. Além disso, alguns possuem antioxidantes, como carotenóides e flavonóides, que combatem doenças degenerativas como o câncer e o envelhecimento.

A preocupação com a qualidade de ingredientes perecíveis deve ser constante, pois o fornecimento de hortaliças deterioradas são causas de vários distúrbios digestivos. Os microrganismos transmitidos pelos alimentos podem ser oriundos da terra, água e pelas pessoas.

vegetais para cachorro comer

Entre os legumes que cachorro pode comer é recomendável descartar aquelas hortaliças que apresentam alterações tais como:

1-   Casca ou polpa amolecidas e manchadas.

2-   Folhas, talos ou raízes murchas e estragadas.

3-   Alteração na cor ou odor.

4-   Mofadas ou com bolores.

5-   Excesso ou falta de umidade (secas).

“As hortaliças devem sempre ser lavadas e higienizadas antes de serem utilizadas, acondicionadas em sacos plásticos e armazenadas sob refrigeração”

Legumes que cachorro pode comer

Os legumes que cachorro pode comer são plantas ou partes vegetais de leguminosas ou herbáceas utilizados como ingredientes de alimentação em dietas naturais para cães e gatos, como: cenoura, abobrinha, abóbora, chuchu, tomate, beterraba, etc.

1. A cenoura

São legumes que cachorro pode comer ricos em vitaminas lipossolúveis A e K e hidrossolúveis como a vit. C e de minerais como o potássio. É um dos legumes preferidos para ser oferecidos aos cães, com grande aceitabilidade. São ricas em beta-caroteno, um antioxidante que pode ajudar a manter a pele e olhos saudáveis, porém as cenouras têm moderado teor carboidratos e deve ser oferecida com restrição.

2. O tomate

É classificado como fruto com seu gosto adocicado e com muita umidade, entretanto popularmente é considerado um legume e um dos legumes que cachorro pode comer. É rico em vitaminas A e C. Possui bom valor nutricional, pois contém K, Ca e ácido fólico. Pode ser fornecido com casca e sem sementes, preferivelmente deve ser fornecido cru (natural). Obrigatoriamente deve estar maduro, nunca verde.

3. A abóbora ou jerimum

É rica em carboidratos solúveis, minerais como: cálcio (Ca), fósforo (P), sódio (Na), potássio (K), ferro (Fe) e magnésio (Mg). É também rica em vitaminas A, E e C. Deve ser previamente cozida e fornecida sem a casca para o animal. Atuam diretamente na prevenção e combate de doenças oculares e de pele. Rica em antioxidantes melhora a saúde cardiovascular. Pela sua suculência é uma boa opção para a refeição dos cães. Deve ser cozida na água ou vapor, e oferecida em formas de pequenos cubos.

4. O chuchu

É rico em umidade e ótima fonte de fibras de alta digestibilidade. É rica em vitamina A e C, minerais como o cálcio (Ca), fósforo (P) e ferro (Fe). É um ingrediente indicado para dietas contra a obesidade em cães. É um dos legumes que cachorro pode comer porém deve ser previamente descascado, cozido na água ou vapor, e servido em cubos.

5. A beterraba

É uma boa fonte de nutrientes é rica em vitamina A, C e vitaminas do complexo B, sendo muito boa para a manutenção do sistema imunológico e da visão. Entretanto, sua concentração de açúcares solúveis, principalmente a variedade sacarina, deve ser proibitiva para animais com problemas de diabetes. 

4. A vagem

E rica em vitamina C. Ela é indicada também para reduzir o colesterol, e pode ser indicada para os cães diabéticos. O modo de preparo é cozinhar bem sobre pressão e fornecer ao animal. Muitos tutores fornecem a vagem também como petisco, e afirmam que tem uma boa aceitabilidade pelos cães.                           

 “O cozimento de legumes deve ser preferivelmente realizado sem a adição de sal, verifique se o alimento completo ofertado já contemple na sua formulação a quantidade diária necessária”

A família Brassicaceae compreende vegetais como: brócolis, couve-flor, couve-de-bruxelas, couve, repolho, nabo e couve-chinesa. Estes vegetais têm diferentes compostos bioativos, como vitamina C, tocoferóis, carotenóides, polifenóis, glicosinolatos e seus subprodutos, que podem proteger contra o desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis. Em humanos, o consumo de vegetais brássicos e o risco reduzido de desenvolvimento de câncer, diabetes e doenças cardiovasculares. Além disso, compostos extraídos dos vegetais brássicos têm apresentado resultados relevantes em termos de combate a doenças degenerativas, diabetes, aterosclerose, câncer e obesidade e, além de quimioproteção da mucosa gástrica contra o estresse oxidativo.

Os glicosinolatos (ou glucosinolatos) são os responsáveis pelo sabor e pelo odor característicos desses vegetais, e, entre os brássicos, o repolho, o brócolis, a couve-flor e a couve de bruxelas são os vegetais que apresentam as maiores concentrações de glicosinolatos.

Os efeitos terapêuticos do consumo de vegetais brássicos devem-se, em parte, à atividade dos subprodutos dos glicosinolatos. Uma pequena quantidade desses compostos pode ser encontrada nas células vegetais, mas se encontra em forma inativa. Os subprodutos em forma ativa são produzidos quando a célula vegetal é danificada (mastigação, cozimento, corte). Como os glicosinolatos são solúveis em água, parte dos compostos se perde na água de cozimento quando se emprega calor úmido. Assim, pouca água para cocção desses alimentos e/ou que essa água seja utilizada no preparo de outras preparações.

As verduras podem ser designadas de forma genérica as plantas cujas partes comestíveis são as folhas, flores ou as hastes que os sustentam, como: couve, alface, espinafre, couve flor, brócolis, repolho, etc. Devem ser fornecidas com moderação, pois animais de estimação como mamíferos, não possuem enzimas digestivas que para hidrolisar carboidratos fibrosos insolúveis como a celulose e hemicelulose. Caso os animais se recusem sua ingestão é recomendável não insistir.

Entre os legumes que cachorro pode comer é importante oferecer alguns tipos de vegetais folhosos, crus ou preferencialmente cozidos, mas sempre picados. Importante é preparar os legumes que cachorro pode comer de forma a proporcionar a melhor digestão possível, e assim aproveitar as características nutritivas de cada uma delas.

A couve-flor é considerado uma boa fonte de vitaminas A, B1, B2,ácido pantotênico e vit. C. Rica em sais minerais contendo cálcio (Ca), fósforo (P), sódio (Na), potássio (K), magnésio (Mg), enxofre (S) e ferro (Fe). É supridora de fibras solúveis (saúde intestinal) e várias substâncias antioxidantes, que reduzem riscos de doenças e retardo do envelhecimento. Estudos relatam a presença de isotiocianato, que são consideradas substâncias bloqueadoras de células carcinógenas no organismo animal.

O espinafre é uma ótima fonte de vit. A e vitaminas do complexo B. Também é rico em: fósforo (P), cálcio (Ca), sódio (Na), potássio (K), magnésio (Mg) e ferro (Fe). É recomendável que o espinafre seja bem lavado, cozido e retirado a água do cozimento. Tem bastante aceitabilidade pelos cães. O espinafre possui muitos nutrientes, mas estudos indicam a presença de ácido oxálico, que pode favorecer a formação de cálculos renais. Entretanto, evitam os riscos de problemas cardiovasculares e inflamatórios.

Os brócolis são também uma boa escolha para dietas naturais ou fornecido em suplementos. Suas propriedades nutricionais incluem minerais como: cálcio (Ca), potássio (K), sódio (Na), ferro (Fe) e zinco (Zn); vitaminas como: A, B1, B2, B6 e C. Deve ser lavado, cozido e pode ser misturado com legumes e outras verduras. É importante observar as preferências de seu animal de estimação, muitas vezes aceitam as verduras, independentemente de sua alimentação balanceada diária.

 A alface contém principalmente as vitaminas A e C, e sais minerais ricos em P, Ca e Fe. Geralmente é utilizado como complemento, devido ao fato da baixa aceitabilidade quando oferecido isoladamente. É recomendável que seja fornecido misturado a legumes que cachorro pode comer.

 A couve é rica em vitaminas A, K e do complexo B, e também em minerais como: fósforo (P), cálcio (Ca) e ferro (Fe). Desempenha papel importante na manutenção dos da resistência dos ossos e dentes, bem como na prevenção da anemia. Deve ser lavada, cozida ou refogada e cortada em tiras pequenas para facilitar a digestão.

O repolho é um vegetal de baixa caloria, entretanto é rico em carboidratos e pobre em proteínas e lipídios. Contém muitas vitaminas lipossolúveis: A, E e K e hidrossolúveis:  B2, B6 e ácido fólico. Tem boa concentração relativa de vários minerais: cálcio (Ca), magnésio (Mg), manganês (Mn), ferro (Fe), selênio (Se), enxofre (S) e iodo (I). Estão presentes também substâncias de propriedades anti-inflamatórias como a glutamina e polifenóis, e antioxidantes naturais como os bioflavonóides. Deve preferencialmente ser fornecido cozido, em forma de finas tiras ou ralado. Por ser um vegetal que provoca flatulências (gases) deve ser oferecido de forma moderada.

Entre os legumes que cachorro pode comer, então e cebola?

Os cães não podem comer cebolas, todas as partes da cebola e seus derivados são tóxicas. As cebolas contêm dissulfeto de N-propila, que causa o colapso dos glóbulos vermelhos e leva à anemia, podendo ser fatal para seu pet. Os sintomas de anemia por ingestão de cebola incluem letargia, fraqueza, diminuição da apetite, gengivas pálidas, desmaios, urina avermelhada, frequência cardíaca elevada e respiração ofegante.

Muitos alimentos humanos contêm cebola entre seus ingredientes, portanto, tome cuidado para manter esses alimentos preparados longe dos cães curiosos. 

Se você suspeitar que seu cão comeu cebola, entre em contato imediatamente com seu veterinário. 

“Animais de estimação não devem receber apenas uma dieta vegetariana, pois necessitam diariamente de adequadas concentrações de aminoácidos, ácidos graxos essenciais e outros nutrientes deficientes em ingredientes vegetais”

A Quinta seleciona os melhores ingredientes oferecendo legumes que cachorro pode comer em uma dieta balanceada mantendo o seu melhor amigo saudável e cheio de energia.

Compartilhar

A revolução da alimentação de verdade chegou!